20200425Mensagem Teresa CoelhoNos 46 anos do 25 de Abril, vamos fazer da nossa casa a rua e vamos cantar a Grândola Vila Morena e o Hino Nacional à janela, apela a presidente da Junta, na mensagem que assinala o aniversário da Revolução.
¤ 25-abr-2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Passados 46 anos sobre o 25 de Abril de 1974 importa, mais do que nunca, não deixar cair no esquecimento, ou remeter só para as cerimónias oficiais, a comemoração desta data fundadora da democracia no nosso país.

Abril é do povo. É sinónimo de conquista das liberdades, dos direitos e da democracia. E, quando vivemos o momento extraordinário em que - devido a uma ameaça de saúde pública - temos de abdicar de alguns desses direitos, temos de ter a vigilância necessária para que os que espreitam cada oportunidade para voltar atrás não tenham espaço de manobra para o fazer. Temos de assumir sem rodeios que a excepção não se pode tornar regra e combater sem hesitações os populismos que espreitam.

Se as limitações à liberdade, nomeadamente de circulação e de convívio social, se compreendem no sentido de conter o contágio, não existem razões para recuar em direitos, nem para fazer incidir mais uma vez nos trabalhadores, nos reformados, nas pequenas e médias empresas os sacrifícios extraordinários.

Abril retirou-nos de uma longa noite fascista. Por 48 anos, as liberdades e os direitos estiveram suspensos e reprimidos. Muitos, por delito de pensamento, foram presos anos a fio, torturados e assassinados por um regime que se impunha pela força, mantendo o nosso país como o mais atrasado da Europa.

As gerações que foram obrigadas a emigrar, por não encontrarem no nosso país as mínimas condições de subsistência, ou os jovens que perderam o futuro, e muitos a vida, numa guerra colonial sem sentido, os que tiveram de optar pelo exílio para fugir à prisão certa ou à ida para África - nenhum destes pode ser esquecido.

Todo esse tempo, que hoje parece muito distante, só se manterá encerrado no baú da história se não esquecermos. Ou melhor, se lembrarmos que esse tempo existiu e estivermos vigilantes para que não volte.

Por tudo isto, este ano - mais do que nunca - comemorar Abril é fundamental e, se desta vez não nos podemos encontrar na Praça do MFA em Almada ou descer a Avenida da Liberdade, vamos fazer da nossa casa a rua, e, dia 25, às 15 horas, vamos cantar a Grândola e o Hino Nacional à janela.

Vamos fazer ouvir este grande coro que canta a Liberdade.

25 de Abril Sempre!

 

Mensagem da presidente da Junta

da União das Freguesias de Caparica e Trafaria,

Teresa Paula Coelho,

assinalando o 46.º aniversário do 25 de Abril