20210409CMA Rua dos Trabalhadores Rurais DesviosObra Fase1 Foi finalmente recebida na Junta informação da Câmara Municipal sobre os motivos das alterações ao trânsito automóvel no Monte de Caparica. Divulga-se igualmente informação da CMA sobre trabalhos e trânsito na Trafaria (Praceta do Porto de Lisboa).
¤ 10-abr-2021

 

Do vereador responsável pela área da mobilidade e trânsito, foi recebida por correio eletrónico, pouco depois das 19 horas de dia 8, uma planta de sinalização da intervenção municipal na Rua dos Trabalhadores Rurais (Monte de Caparica).
Ao final da manhã de dia 9, da Mobilidade Urbana da CMA, foi recebida uma informação sobre os trabalhos a realizar na Rua dos Trabalhadores Rurais, com vista a «resolver simultaneamente, conflitos gerados nas intercessões entre as diferentes vias, bem como promover a fluidez do trânsito e tomando especial atenção à garantia da segurança da circulação de peões».

Vão ser criados passeios com melhores dimensões e uma faixa de circulação viária contínua de largura constante (3,30m). A intervenção será feita por fases, estando em execução, nesta primeira fase, o muro de suporte em frente à ourivesaria Charmon. Este muro é considerado estrutura essencial para que sejam criadas condições à existência de uma bolsa de estacionamento, devidamente legalizada (prevista de sete lugares). Posteriormente será realizada a operação na infraestrutura rodoviária, estimando a CMA que a duração total da intervenção, para este troço, seja de dois meses.

A CMA afirma que «foi necessário, e será no futuro, gerar algumas restrições temporárias à normal circulação rodoviária, sendo nesta fase, a interdição do troço até ao entroncamento com a Travessa da Igreja e alteração de sentido desde o entroncamento com a Avenida Timor Lorosae e o Largo Cândido dos Reis».

À medida que a obra for avançando, será enviada nova informação.

 

Presídio da Trafaria

A Mobilidade Urbana da CM de Almada informou ainda, igualmente no dia 9, que «foi autorizado o condicionamento de trânsito da Praceta do Porto de Lisboa, Trafaria, no âmbito da “EOP Reabilitação do Edifício 1 e Demolição do edifício 2 do Presídio da Trafaria e Reabilitação da Praceta Porto de Lisboa”, conforme Plano de Sinalização Rodoviário (revisão 1) apresentado pelo empreiteiro “Extraco, S.A.”, desde que não se coloque em causa a segurança de pessoas e bens, nomeadamente na circulação pedonal e rodoviária».

Remetendo para o desenho que aqui reproduzimos, acrescenta-se que o plano contempla dois esquemas de sinalização temporária: um, a vigorar durante toda a empreitada, e outro, presente durante a fase dos trabalhos na Praceta do Porto de Lisboa.

«Irá ser garantido um corredor de circulação de emergência, a entrada e saída dos veículos à zona de embarque da Transtejo/Soflusa, assim como o acesso pedonal e a circulação rodoviária em toda a Praceta», refere a informação, acrescentando que, sempre que a CMA considere necessário, será providenciado o acompanhamento dos trabalhos por agentes da autoridade».