20140801moinhodemolicaoA Junta da União das Freguesias de Caparica e Trafaria repudia a demolição do moinho que estava localizado junto à Escola do Miradouro de Alfazina, no Raposo.
¤ 1-ago-2014

A Junta vai procurar apurar responsabilidades e continuará a apostar na preservação da memória histórica da Caparica e da Trafaria.

A destruição de um elemento patrimonial importante e que reflete o passado histórico da Caparica mereceu o protesto do Centro de Arqueologia de Almada que classificou o acontecimento como um atentado grave contra o património.
Durante a preparação do percurso para uma visita guiada sobre o tema “Moinhos de Vento da Caparica”, o CAA constatou o desaparecimento das estruturas do moinho,como referiu num ofício enviado à Junta. O CAA explica que, «apesar de se encontrar em estado de ruína, tratava-se de um elemento patrimonial cuja integração na paisagem testemunhava o passado rural do concelho de Almada», considerando que «por isso, a sua demolição constituiu um atentado grave ao património concelhio, na medida em que deveria ter sido equacionado o registo sistemático da estrutura e avaliadas as possibilidades de consolidação e preservação».
O CAA defende que «mesmo que a solução implicasse a demolição, essa impunha o prévio registo e um acompanhamento técnico que permitisse aproveitar a operação para conhecer mais pormenores arquitetónicos do moinho, e para recuperar os elementos pétreos mais importantes (cantarias, peças de suporte ao funcionamento do engenho, etc.), que poderiam enriquecer o acervo do Museu Municipal de Almada».
«Acresce ainda o fato de na estrutura do moinho estar instalado um marco geodésico de 3ª ordem do qual não se encontram quaisquer vestígios, sendo que a destruição de marcos cadastrais constitui crime nos termos do Artigo 21º do Decreto-lei nº 143/82», escreve o CAA.
Salienta ainda que, «enquanto elemento do património local, o moinho constituía uma referência identitária do local, estava integrado em ações de educação patrimonial, promovidas pela autarquia, realizadas junto dos alunos do primeiro ciclo que frequentavam as escolas da zona, e era elemento importante dos percursos temáticos de exploração da paisagem e do património no concelho de Almada».